sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A face de Cristo segundo José Rodrigues: mostra no Forte de São Tiago





Por LUÍS ROCHA

Um número assinalável de pessoas marcou ontem presença no Museu de Arte Contemporânea do Funchal (Fortaleza de São Tiago), para a inauguração da exposição 'Cristos de José Rodrigues na Colecção Millennium bcp', comissariada por Rui Paiva e à qual já anteriormente fizémos referência. Visiveis, até 3 de Janeiro do próximo ano, estão várias dezenas de obras, entre escultura, pintura e desenho. Incluem-se nesta mostra vários acrílicos sobre tela, sobre papel e sobre madeira, além de peças escultóricas em barro mais chapa de ferro, bronze e barro. O tema fundamental é, aqui, a figura de Cristo, como bem o indica o nome da exposição, um tema que muito fascinou o autor, que aliás ontem esteve presente.
Conforme sublinha Nuno Amado, presidente da Comissão Executiva do Millennium bcp no texto do catálogo, este é "um conjunto de obras notáveis carregadas de simbolismo e humanidade que retratam a dor e o sofrimento numa visão transcendente e de forte espiritualidade". Espiritualidade essa, aliás, enfatizada ontem, em comentários, pelo bispo do Funchal, D. António Carrilho, que esteve presente.
Nuno Amado realça, aliás, que o facto de o encerramento da exposição acontecer em Janeiro de 2014 contém em si uma mensagem pública e assumida, por parte da instituição bancária promotora: "A Diocese do Funchal comemora os seus 500 anos justamente no ano de 2014. Trata-se de um evento histórico para a Região Autónoma e para Portugal. Nessa medida, ao escolher uma exposição cuja temática é a pessoa de Jesus Cristo, o Millennium bcp pretende associar-sre à efeméride (...) Espero que ao partilhar com os madeirenses parte do nosso património cultural estejamos a contribuir para assinalar condignamente uma data que é motivo de orgulho para todos eles e também para nós".
Por seu turno, Rui Paiva frisa: "O que transparece neste jogo de serialização de Cristos-em-arte é um sentido religioso que remete para um mundo onde Cristo é um só mas ocupa o espaço humano de um Universo de Criação".
Nascido em 1936 em Luanda, José Rodrigues licenciou-se com 20 valores em 1963 na Escola Superior de Belas Artes do Porto. Pertenceu ao grupo dos 'Quatro Vintes', conjuntamente com Armando Alves, Ângelo de Sousa e Jorge Pinheiro. É autor de múltiplas esculturas e monumentos.
Desta exposição, além da criatividade do autor na utilização e manipulação de diversos materiais, é bem patente, para além da preocupação de foro teologico-filosófico, a sensibilidade humanizante: Jesus Cristo encarna aqui, no seu sofrimento, o padecimento da própria humanidade, expresso na agonia de todo o homem martirizado.

1 comentário:

  1. Interessante artigo. Continuem esta boa iniciativa.

    ResponderEliminar